Vivian

Categories:

Resgate / Vida no abrigo:

Vivian é dessas gatas sobreviventes: uma das mãezinhas corajosas que tivemos a honra de hospedar no BG. Ela teve seus filhotes na rua e arrumou abrigo para eles em cima de um telhado. Não era um lugar muito seguro, mas era o que ela conseguia fazer naquelas condições. Um filhote caiu do telhado e foi resgatado sem que soubessem que a família inteira estava lá em cima. Quando descobriram a família e pediram socorro, as voluntárias Tânia e Claudia Almeida foram lá resgatar. E a mamãe Vivian pode terminar de amamentar seus filhotes com tranquilidade no BG. Quando os filhotes estavam fortes e já puderam ser adotados, a Vivian foi castrada e se tornou a gata dominante do BG. Possessiva, ciumenta, ela queria todos os humanos para ela, fazendo carinho sem parar, como ela merece. E aí de quem (gato) quisesse dividir esta atenção. Por isso Vivian precisava ser filha única. E hoje é isso que ela é. Adotada por um casal, ela é a rainha da casa. Adotada em novembro de 2014.

(O CASAL ADOTOU MAIS 1 GATO CONOSCO)

Depoimento adotante – Cirlene

Quando perdemos nossa linda e querida filha Pet Hanna, ficamos muito carentes. Precisávamos muito de suprir nosso sofrimento de perda. Estávamos amadurecendo a ideia de arrumar uma nova companhia para Guga e então pensamos em um gatinho. Nesse meio tempo optamos pela nobre ação de adoção e então encontramos a ONG Gato Uai, que nos enviou várias fotos para escolha. Dentre tantas, escolhemos Bella que foi amor à primeira foto. Quando recebemos informações de seu temperamento, ficamos um pouco receosos, mas, ela era tão linda que superamos a questão e decidimos arriscar.  Em 15/11/2016 completa-se dois anos que está conosco. Hoje tornou-se uma gata doce e carinhosa apesar de seus pequenos momentos de estresse e que apesar disso, nos deixa muito felizes com sua presença.

Pérola

Categories:

Pérola e Tigre

Resgate / Vida no abrigo:

Tigre chegou ao abrigo ainda em 2013, junto com o irmão Pantera. Os dois sempre foram muito assustados…

Nas primeiras semanas duvidávamos que eles existiam, pois não conseguíamos vê-los. Eram dois adolescentes com pavor de humanos, permanentemente escondidos debaixo do fogão.
Eles foram crescendo, não cabiam mais debaixo do fogão, e foram obrigados a circular pelo abrigo. Inseparáveis, preferiam a companhia de outros gatos ariscos que chegavam.
Com sorte, era possível fazer carinho nos dois quando estavam na janela.
Mas eis que algo estranho acontece no 2º semestre de 2015: Tigre começa a se relacionar com o Mark e a Silvinha, os gatos que passam a maior parte do tempo no banheiro do BG. E com essa convivência, ele começa não só a aceitar, mas também a pedir carinho. Cenas nunca antes vistas passaram a ser vividas pelos voluntários que nem acreditaram!
Com essa evolução, o anúncio de sua adoção foi intensificado. E eis que uma mãe de 1ª viagem toma coragem de adotar o Tigre e a Pérola! Esta notícia deixou todos os voluntários muito emocionados.
Com doses extras de paciência e muito carinho, depois de 4 meses, toda a personalidade arredia deu lugar a um gato muito carinhoso, apaixonado e grato por sua mãe.

Pérola, a mãezinha da ninhada de pedras preciosas. Ela morava na REGAP, mas achou um anjo da guarda que a tirou de lá.
Depois de poder ter seus filhotes em segurança, poder amamentar a turma tranquilamente, ela foi vacinada e castrada. Como a maioria das nossas mãezinhas, chegou magrinha, mas logo ganhou peso e ficou gordinha e muito saudável! 
Outra característica comum às mãezinhas é serem bem territoriais e possessivas enquanto estão no abrigo, e demorarem muito a serem adotadas. Mas a Pérola não era assim. Em geral era tranquila e seus divinos bigodes até que não demoraram tanto a conquistar uma família.
Mas acontece que a Pérola acabou se mostrando muito territorialista, depois de adotada. A adoção conjunta com a Lili para uma casa que já tinha um gato e um cão, não era exatamente o que a nossa Pérola Negra tinha em mente. Ela, que é dengosa, ficou distante, não interagia nem com animais nem com humanos e fazia xixi pela casa toda! Os adotantes foram muito pacientes e até queriam tentar mais tempo. Mas achamos que ela não estava feliz e que o melhor era ela voltar para o abrigo e recomeçar. E mesmo com muito pesar no coração, os adotantes a devolveram.
Mas a sua 2ª jornada no BG não durou muito tempo. Aquela moça corajosa que animou a adotar o super tímido Tigre, também adotou a Pérola! E lá, num ambiente mais tranquilo, só com a sua mamãe e o bobo do Tigre que fica a maior parte do tempo escondido, ela finalmente se sentiu dona da casa. Já ganhou nichos e prateleiras e dorme com a mamãe todos os dias.
Eles foram adotados em janeiro/2016.

Depoimento adotante – Renata

Adotar gatinhos foi um sinal divino. Depois de sonhar por muitos meses com gatos, fui passar um feriado na casa de uma amiga que tinha adotado dois.  Saí de lá apaixonada. A mesma amiga me indicou a Ong Gato Uai. Entrei em contato com “as tias”, como nós as chamamos aqui em casa, e assim que a “dinda” Amanda veio a Belo Horizonte fomos ao abrigo escolher. Eu tinha algumas opções na cabeça, mas quando chegamos ao Barra Gato foi tudo diferente do imaginado.  Eu estava com o pé machucado e uma gatinha preta, bem gordinha começou a me seguir. Eu ignorei e comecei a perguntar pelas opções. Mas volta e meia alguém me avisava da gatinha que me seguia. Entrei na casa e quando voltei ao quintal da casa a gatinha estava fazendo carinho na cabeça de uma “tia” que estava deitada no chão. Sentei ao lado e a bichinha me cheirou e deitou do lado do pé enfaixado. Comecei a fazer carinho nela e ela quetinha. Tão fofinha! Resolvi que apesar de não querer gatos pretos levaria ela: Pérola. Junto a Pérola queria trazer um gato macho, mas a escolha ficou para depois. Comecei a arrumar a casa para recebê-los. E, finalmente, chegou o dia de ir buscá-los! Foi no dia 25 de dezembro de 2015. Fomos eu, minha mãe e minha sobrinha. Fomos recebidos pela tia Cláudia. O macho escolhido foi o Tigre. No mesmo dia pela manhã fiz faxina na casa para recebê-los. Estava tudo limpinho. Chegamos em casa, abri as caixinhas de transporte e a Pérola já saiu toda serelepe explorando o território. Subiu na cama e assim passamos toda aquela tarde. Mandando fotos para os familiares. No início a adaptação foi um pouco difícil, principalmente a do Tigre, que se escondeu e demorou meses para conseguir fazer ele conviver em casa. Pérola convivia, mas marcava território fazendo xixi nos lugares onde as visitas sentavam.  Uma vez, ela fez xixi até em mim. Hahahaa. Pedi muita ajuda para “as tias”. Eles aranharam todo o sofá, cadeiras, quebraram coisas, ganharam arranhadores, brinquedos para subir, fonte de água e a casa ficou toda para eles. Depois de quase um ano somos melhores amigas! Onde eu vou a minha gatinha Pérola vem atrás. E eu amo! E até o Tigre está convivendo. Somos uma família feliz e alegre. Foi a melhor decisão da minha vida, com certeza. E quem quiser conhecer o Tigre, acompanhar a rotina dele e da Pérola e saber como foi a adaptação de cada um pode segui esses dois irmãos no instagram: perolaetigre.

Isis

Categories:

Isis

Resgate / Vida no abrigo:

Ísis foi resgatada há poucos dias de morrer… Uma pessoa pediu ajuda para ela, que estava na rua, e supostamente teria sofrido um aborto. Ela então chegou ao BG, aparentemente normal. Mas após alguns dias, percebeu-se que estava muito quieta e pálida. Exames revelaram uma anemia profunda e um quadro agudo de hemobartonela, como poucas vezes o laboratório tinha visto. Ninguém entendia como ela ainda estava ali!

Neste momento o Costelinha sangue bom (gato da voluntária Lilian) foi o doador do sangue que salvou a vida da Ísis. Achava-se que só uma transfusão não seria suficiente para reverter o quadro, mas foi. O pós-transfusão, acompanhado de medicação, regado a muito patê natural e carinho, garantiu a total recuperação desta guerreira.
E todo este processo foi acompanhado a distância da sua fã nº 01, sua mamãe que já a tinha escolhido e estava só esperando ela ser liberada para adoção.
Quando já estava mais forte, Ísis foi castrada e entregue a sua mamãe em outubro de 2015.
A casa já estava toda segura a espera desta princesa.

Depoimento adotante – Kemelye

Já ouviram falar em amor à primeira vista? Pois é, foi justamente isso que aconteceu quando eu vi a foto da Ísis pela primeira vez. Recebi várias e várias fotos dos gatinhos resgatados pela Gato Uai, e em meio à tantas fotografias, me deparei com a Ísis. Ah, aqueles pêlos na orelha me conquistaram! 

Naquele momento informei a ONG que eu já havia feito a minha escolha, eu queria adotar a gata mais linda do mundo: A Ísis.

Me disseram que essa talvez não fosse a melhor opção. A Ísis estava internada e correndo grande risco de não sobreviver. Me sugeriram adotar outro gatinho, um que estivesse saudável e disponível para adoção. Compareci ao abrigo, conheci mais de 20 gatinhos carentes e lindos, me encantei e me comovi com a histórias de cada um deles, mas a minha cabeça e o meu coração só queriam a Ísis, mesmo sabendo de todos os riscos, que ela estava doentinha e debilitada. Me informaram que a Ísis ainda estava internada em uma clínica veterinária, com anemia profunda e que receberia naquele dia, transfusão de sangue. Eu disse que esperaria o tempo que fosse preciso, mas a Ísis seria minha. Saí do abrigo e fui direto a clínica visitá-la, quando a vi não consegui conter as lágrimas, naquele momento tive a certeza de que eu cuidaria dela e de que ela cuidaria de mim pelo resto de nossas vidas. Semanas depois a Ísis teve alta, entretanto, necessitou ficar mais 30 dias no BarraGato em tratamento. Ao todo, esperei mais de 60 dias para conseguir adota-la. Trouxe-a para casa na última semana de outubro de 2015. 

A Ísis me completa. É o meu amor maior. Minha filha. Minha companheira. Minha amiga. Com ela descobri um amor que até então não conhecia. Costumo dizer que o amor que eu recebo da Ísis é tão imenso, puro e verdadeiro, que no final das contas eu é quem fui adotada por ela, e não ela por mim. Que sorte a minha, poder dar um lar confortável e cheio de carinho a um ser que tanto sofreu na vida! 

Isís é o nome de uma deusa egípcia que é um modelo para as mulheres e mães, é a deusa da fertilidade, do amor e da maternidade. A versão grega deste nome significa “eu nasci de mim mesma”, “não venho de ninguém”. Minha Ísis renasceu… nasceu dela mesmo e me trouxe de volta a alegria de viver, alegria essa que se renova a cada largatixa trazida de presente, a cada miado, a cada ronronado! Hoje tento proporcionar tudo de melhor que ela possa ter. Minha linda, meu tesouro, minha flor, minha Deusa… MINHA ÍSIS… MEU AMOR!

Sansa e Alaska

Categories:

Resgate / Vida no abrigo:
Lua chegou ao BG após passar 07 meses em uma gaiolinha de uma clínica veterinária. Ela foi resgatada grávida, teve seus bebês em segurança na clínica, foi castrada, viu todos seus filhotes serem adotados, mas ela continuava lá, a espera de um lar.
Para amenizar a espera, ela foi para o BG, onde cativou a todos que por lá passaram com sua doçura e miado rouco.
Adotada em Dezembro de 2013.

KitKat nasceu numa casa onde nenhum bichinho merecia estar: em meio a lixo, sujeira e falta de carinho. Sua tutora faleceu e os outros 29 gatinhos que estavam no local foram levados pelo Centro de Zoonoses. Ela, muito pequena (2 meses), não foi vista e, assim, foi salva. Quando as voluntárias do Gato Uai souberam de sua existência, logo se reuniram para ver o que fazer, pois é difícil manter gatinhos especiais no abrigo (ela é cega), mas elas decidiram arriscar e acolheram a KitKat. Antes, ela foi consultada e além de ser positiva para FELV, foi constatada a necessidade de cirurgia devido aos problemas nos olhinhos.
Com apenas 4 meses, ela já havia enfrentado muitas dificuldades, porém em nada a cegueira lhe atrapalhou.
Adotada em Julho de 2016.

Depoimento adotante – Maria Carolina Gavioli
Meu marido e eu sempre optamos pela adoção de gatos. Quando me tornei voluntária no BarraGato sabia que em algum momento adotaria um hóspede, só não sabia que seriam três!
A Alaska (no BG – Lua) e a Hazel (no BG – Ditinha) vieram para nossa casa em dezembro de 2013. Sempre tive gato preto em casa, desde criança, e quando soube da história da Alaska não tive dúvidas que ela precisava ter uma vida feliz e cercada de amor. O miado rouco e o jeito falante dela me conquistaram por completo. Em questão de horas ela e a irmã já estavam adaptadas em casa.
Depois de 3 anos, mesmo com 4 gatos em casa (já tínhamos 1 e resgatamos e adotamos outro), tinha o sonho de ter um gato cego. Não faltaram oportunidades, meu marido dizia que estávamos no limite de animais em casa, porém não resisti a toda trajetória da Sansa (no BG – KitKat) e sabendo que ela era Felv+ não pensei duas vezes. Precisava mostrar para ela que ser um animal especial não era um problema e ela seria muito amada por todo o tempo que estivesse conosco. Ela chegou dominando tudo, hoje é a dona da casa e os irmãos mais velhos nem se atrevem a discordar!
Assim, hoje temos 5 felinos que considero nossos bens mais preciosos, as vidinhas que dependem de nós e nos tornam pessoas melhores diariamente. Já mudamos de casa, de emprego e eles sempre irão nos acompanhar.
Adoção é um ato de amor. Eu achava que estava salvando vidas, mas foram eles que me salvaram!

Cinquenta tons de cinza

Categories:

Esta é a emocionante e por vezes triste, mas também terna, história de Dona Maya, uma bondosa e batalhadora gata, e sua prole de cinquenta (ou até mais) tons de cinza. Uma felina que fez das tripas coração para manter unido seu núcleo familiar. Um conto de luta contra as adversidades de um mundo cruel, no qual nossa heroína, com muito amor, dedicação e sacrifício, conseguiu criar cinco filhos, utilizando-se de sua astúcia e contando com golpes de sorte e jogadas do destino.

Um ano atrás, uma figura cinzenta, de pelo longo e modos aristocráticos, perambulava pelas ruas do Bairro Anchieta, na comarca de Belo Horizonte. Meio adulta, meio grávida, foi alimentada e veio a encontrar uma garagem cheia de entulhos, na qual deu cria a seus cinco rebentos: éramos seis.

Meticulosamente eles foram resgatados, um a um, e, posteriormente, trazidos ao abrigo do Gato Uai, carinhosamente conhecido como BarraGato. Éramos seis. Cinquenta tons de cinza claro, escuro, salpicado no branco, traçado, geometricamente desenhado. Capítulos escritos na linguagem do fuzz e com uma pontinha de lágrima escorrendo no canto do olho. Olho de Maya, olho de mãe, o olho que tudo vê.

Maya amava Amelie que foi adotada ali, e sua irmã Rebeca que amava Ricardo que amava Renato que amava Rafaela que esperava alguém para amá-la também. Alguns esperam menos, outros mais. Éramos seis, agora cinco. Rebeca foi adotada e continuou Rebeca, Maya foi adotada e virou Charlotte, Ricardo agora é Dexter. Renato e Rafaela continuam aguardando alguém que ainda não entrou na história. É uma quadrilha, uma ciranda.

Éramos seis, quatro se foram, restaram dois. Esta é a emocionante e por vezes triste, mas também terna história de Dona Maya, agora Charlotte, e sua família de mais, muito mais de cinquenta tons de cinza. Se você quiser, também pode fazer parte dessa saga: ainda restam duas oportunidades. Éramos seis, restaram dois, mas juntos ainda podemos ser mais, e muitos. Renato e Rafaela continuam escrevendo a história.  fe0f9864-f2d4-4dd2-af58-e3bb80f1b1e4a2be369a-764b-4798-9bec-5836d058a37df575db1a-fff8-4c6e-a438-99344b6af66d5372d9c5-e367-4291-9e7a-f51b8d5fee60

Entrevista com a Diva Belinha

Categories:

No cair de mais uma tarde outonal, recheada de bucólicas sensações e inúmeras promessas de façanhas felinas, somos recebidos, calorosamente, pela estrela internacional Belinha, agora reclusa em seu aconchegante retiro, popularmente conhecido como Resort BarraGato, o lar de dezenas de gatinhos mineiros. Já na entrada, ela nos recepciona com amáveis palavras e graciosas maneiras: “Boa tarde, fãs.” Por detrás de seus olhos profundos e postura elegante, podemos notar uma miríade de emoções que fluem ronronantemente quando começa a relatar sua trajetória ao estrelato. “Já tive muitos problemas, enfrentei o fungo, mas tudo consegui vencer com minha perseverança e energia interior. Hoje sou a encarnação do equilíbrio e da força felina.” Enquanto nos guia por um tour pelo local e amavelmente enxota os demais companheiros de abrigo, Belinha revela mais sobre seu passado e presente: “meus dias de fama ficaram para trás, sinto alguma saudade – já fui uber model, posei para calendários e ganhei ração em concurso de beleza, agora curto a minha humildade e deixo para os súditos a função de tentar alcançar o meu sucesso. Quem sabe, um dia”. Sua rotina no luxuoso estabelecimento inclui exercícios físicos especiais, dieta protéica com ração gourmet e banhos de sol com as companheiras. Uma delas passa à distância e é gentilmente saudada por Belinha: “Desejo a todas inimigas vida longa!” Já cansada da nossa presença e das infindáveis perguntas, a diva quer dar por encerrada a entrevista, mas não sem antes deixar uma última e marcante declaração: “eu adoro esse lugar, aqui meus fãs me tratam muito bem. Sou cuidada, sou lembrada. Mas já faz muito tempo, e eu devo confessar que algo me faz imensa falta…uma família. Assisti a todos os meus filhos irem embora, esperei muito que o meu dia também chegasse…talvez ainda chegue…enquanto isso, resta a minha certeza de que sempre serei querida”. Tentando disfarçar a emoção, a dama se afasta, encerrando a entrevista para continuar com seus afazeres diários. E aguardar…

IMG_7311

A Grande Dama

IMG_7034

A entrevista

IMG_7032

Rotina diária de exercícios

IMG_7033

Sessão de fotos

IMG_7035

Superior esquerda: marca na calçada da fama; superior direita: no camarim, aguardando para ser maquiada; inferior esquerda: uma foto com os fãs; inferior direita: sob a luz dos holofotes.

Castração

Categories:

Olá pessoal, estamos aqui hoje para falar sobre castração.

Queremos mostrar a vocês todos os benefícios que ela traz ao seu peludo e acabar com os mitos que inventaram sobre ela. Tenha uma certeza em mente: você e seu amigo só tem a ganhar!

Sabemos que não é muito simples cuidar de uma vida, mas também não é tão difícil dar o conforto e o amor que ela precisa. Castrar é um dos passos mais importantes. Ao contrário do que muitos dizem o animal não vai ficar ‘bobo’ ou com mais tendência à obesidade. Risca isso aí da sua neura. Claro que devemos lembrar como é bom que o animal seja estimulado ao exercício. Aqui, o enriquecimento ambiental é muito importante. Também, ao contrário do que você imagina, seu amigo não vai ser mutilado. De jeito nenhum estaríamos aqui falando sobre isso se a vida, saúde e bem-estar dele estivessem em jogo. Portanto, a castração já ganha um ponto por ser o método mais seguro.

A cirurgia é bem simples, rápida e benéfica! Em quase todos os casos o animal castrado é liberado no mesmo dia sem necessidade de um tempo muito longo de recuperação, faixas nem o uso do colar elisabetano (usado para os bichinhos não ficarem fuçando o local da cirurgia). Os benefícios desse procedimento são tantos que fica até difícil enumerar. Eles vão desde a diminuição do odor da urina até os riscos de câncer. Quanto mais cedo a cirurgia for realizada melhor será a recuperação do peludinho. Também se reduz bastante a incidência de doenças como o câncer. A fêmea castrada antes de um ano tem praticamente anula a chance de adoecer com câncer de mama e do útero. No macho, evita-se também o câncer de próstata e dos testículos.

Sabe aquelas brigas, a ansiedade para sair de casa, a marcação de território, miados e latidos loucos por disputa da fêmea? Adivinha? Ponto para castração! Seu bichinho fica menos agressivo e ansioso, praticamente perde a necessidade de se apossar das coisas, e até a urina perde do cheiro forte e desagradável.

Castração de gatosVocê se lembra daquele bichinho que viu hoje na esquina e pensou “tadinho”? A castração

resolve também problemões sociais como o abandono e os inúmeros animais carentes. Ao

controlar melhor a população reduzimos a violência e os abusos sofridos por estes animais.

E se isso não é suficiente para você pensar melhor sobre o assunto, ainda tem a questão

da longevidade do seu animalzinho. Como a qualidade de vida dele melhora, consequentemente a

expectativa de vida dele não só aumenta como pode chegar a dobrar! Por exemplo, animais não

castrados vivem em média, de 4 a 5 anos, e os castrados 8 a 10.

E então? Que tal além de fazer o bem adotando você pensar neste enorme conforto tanto

a vocês quanto aos nossos amigos? A castração pode ser realizada a partir dos dois meses de idade. A partir desta idade, quanto antes, melhor. Ajude um animal de rua: procure uma ONG, apadrinhe, contribua com ração, voluntarie- se. Ofereça a estes animais o mesmo amor que você dá ao seu próprio amigo. Eles merecem e faz um bem danado ao coração.

LOCAIS QUE OFERECEM CASTRAÇÃO A BAIXO CUSTO EM BELO HORIZONTE:

  • Arca de noé: 3356-6003/4102-0020
  • Aprisco: 254-9504
  • Bichos Gerais: 3481-1968
  • Dog Star: 3332-4355
  • Cão Viver: 3397-8560

 

Texto por João Silva – Voluntário Online

Vacinação: Saiba os cuidados básico

Categories:
Olá Pessoal,
A partir de hoje vocês terão uma série de posts sobre cuidados que precisamos ter com nossos gatinhos e o primeiro assunto que trataremos serão as vacinas que os bichanos precisam tomar ao longo de sua vida. Vamos conferir?
O cuidado com a vacinação é imprescindível na vida de todo animal. Para que a vacinação tenha melhores efeitos, é necessário que o gato já esteja devidamente vermifugado e sem queixas de febre ou diarreia. Esses cuidados garantem que não ocorra falha vacinal, ou seja, o organismo não responder aos efeitos da dose.
Após o nascimento do bichano, é necessário esperar 60 dias para a primeira vacinação. As primeiras doses serão as múltiplas, também chamadas de polivalentes, devido ao número de doenças que as vacinas são capazes de prevenir, podendo ser classificadas em triplas, quádruplas e quíntuplas. Em comum, todas previnem contra Panleucopenia, Rinotraqueíte e Calicevirose. A quádrupla protege ainda contra a Clamidiose, e a quíntupla, contra a Leucemia felina.
Também existe a vacinação anti-rábica, para prevenção da  raiva, que  deve ser tomada anualmente pelo seu animal. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece essa vacinação gratuitamente em pontos estratégicos nas cidades.
Para que a vacinação tenha melhor efeito, não atrase a vacinação de seu bichano. Se isso acontecer, procure um veterinário de sua confiança e peça uma dose de reforço. Estar atento a estes cuidados é fundamental para o bem-estar de seu animal!

 

Adoção Responsável – O que você precisa saber antes de adotar

Categories: Tags:

Miau, cheguei!

Querer um “gato a bordo” é ter mente que você tem que recebê-lo e criá-lo com muito amor, carinho e dedicação. As boas vindas de quando finalmente ele chegar, vão além destes afetos, que são necessários no dia-a-dia. Mais importante do que anunciar a si mesmo, a alguém ou a sua família a chegada do mais novo membro, é priorizar também o cuidado de sua segurança e conforto.  Como sabemos que nem todo mundo tem ideia do que é uma adoção responsável, separamos algumas dicas para que você que está desejando ter um gatinho, saiba como zelar por ele:

janelas_teladas_2

Seja em casa ou apartamento, o uso da rede de proteção nas janelas é necessário, podendo evitar uma possível queda e fugas. Gato na rua é sinônimo de risco! Atropelamento, envenenamento, doenças fatais e brigas são algumas das consequências que um gato pode ter que enfrentar, por estar solto. Não é o suficiente acreditar no boato de que gato tem 7 vidas para evitar o uso delas!

Se você mora em uma casa, o ideal é ter um muro liso e bem alto, para garantir que o gato não vá escalar. Se esse não é o seu caso, é possível também telar e garantir que seu bichano não irá sair.

As telas devem ser de melhor durabilidade, qualidade e resistência, já que, ele pode morder e assim arrebentar, escapar pelo próprio buraco da rede ou fugir e nunca mais voltar.

caixa_de_areia

A caixa de areia será o “vaso sanitário” do seu gato, onde você vai ensiná-lo a fazer todas as suas necessidades. Gatos gostam de se manterem limpos, por isso a caixinha deve ser higienizada com regularidade e ter sempre a sua areia trocada quando necessário. Existem vários tipos de areia, o ideal é você testar cada uma para descobrir qual o seu gatinho melhor se adaptou.

Untitled-1-Recovered

Assim como você gosta de brincar com o seu gatinho, ele também gosta de brincar. Brinquedos estimulam os sentidos e o instinto do bichinho e por isso são tão importantes para seu desenvolvimento e diversão. Bolinhas de lã e de papel, barbantes, brinquedos que fazem barulho, catnip (uma erva que estimula o instinto predador do animal e afeta quase todos os felinos, inclusive leões, pumas e onças) e caixas de papelão vão animar qualquer gato. Seja para se esconder, arranhar ou tirar uma sonequinha, as caixas são sempre uma diversão para os bichanos. É importante lembrar, que os brinquedos para não são simplesmente para diversão, possuem um propósito terapêutico de contribuir para a saúde geral dos gatos e gatinhas, tanto física como mental.

caminha_cobertor

Quem é que não gosta de se deitar em um lugar aconchegante e confortável para dormir? E com o gato não é diferente. Principalmente na fase de adaptação do felino em uma nova cada ou quando ele ainda é muito filhotinho, é importante ele saber que terá sempre um lugarzinho para fica e se sentir seguro. Qualquer cantinho serve! Gatos também passam boa parte do dia dormindo, então é legal terem um espaço gostoso para isso. Escolha um lugar e coloque uma caminha e um cobertor, para aquecê-lo durante as suas várias sonecas do dia.

comedouro

Há diversos modelos desde o plástico até o inox, que irá oferecer comodidade para o seu gato na hora da alimentação. Especialistas indicam o uso de um comedouro que não seja de plástico. Apesar de serem baratos, esse tipo de comedouro pode causar um problema de pele nos gatos, chamada acne felina. Por isso, dê preferencia a comedouros de inox, porcelana e outros materiais que dificultam o acumulo de bactérias. A água deve estar sempre limpa e fresca e o repositor de comida deve ser sempre higienizado a cada troca da nova ração. Já o bebedouro, pode ser comum ou do tipo que deixa a água corrente. Esse último tipo, estimula os felinos a tomarem mais água e isso é super importante para o bom funcionamento renal deles.

racao

É importante, assim que adotar um gatinho, consultar um veterinário de sua preferência (o ideal é que seja um especialista em felinos, mas caso você não tenha acesso a esse tipo de profissional, consulte um de sua confiança) e pedir indicação de uma boa ração para seu animalzinho. Geralmente a ração é acordo com a idade em que o seu gato se encontra (filhote ou adulto). O ideal é que você analise as que oferecem a nutrição com maior qualidade, o custo benefício de cada marca que varia além da ração econômica, a premium e super premium, e fuja de rações muito coloridas ou compradas a granel. Esse tipo de ração possui muitos corantes e conservantes e podem trazer sérios problemas de saúde para seu animalzinho. Já as rações a granel são expostas a todo tipo de contaminação e por isso não são um alimento seguro para eles.

Agora que você já está ciente do básico, coloque em prática e compartilhe com a gente como está sendo a experiência de aprender e ensinar tudo isso para seu novo amigo. Estamos esperando para saber como está sendo a sua experiência de ter uma das melhores companhias do mundo! <3

 

Por Higor de Amândula – Voluntário Online