Pérola e Tigre

Resgate / Vida no abrigo:

Tigre chegou ao abrigo ainda em 2013, junto com o irmão Pantera. Os dois sempre foram muito assustados…

Nas primeiras semanas duvidávamos que eles existiam, pois não conseguíamos vê-los. Eram dois adolescentes com pavor de humanos, permanentemente escondidos debaixo do fogão.
Eles foram crescendo, não cabiam mais debaixo do fogão, e foram obrigados a circular pelo abrigo. Inseparáveis, preferiam a companhia de outros gatos ariscos que chegavam.
Com sorte, era possível fazer carinho nos dois quando estavam na janela.
Mas eis que algo estranho acontece no 2º semestre de 2015: Tigre começa a se relacionar com o Mark e a Silvinha, os gatos que passam a maior parte do tempo no banheiro do BG. E com essa convivência, ele começa não só a aceitar, mas também a pedir carinho. Cenas nunca antes vistas passaram a ser vividas pelos voluntários que nem acreditaram!
Com essa evolução, o anúncio de sua adoção foi intensificado. E eis que uma mãe de 1ª viagem toma coragem de adotar o Tigre e a Pérola! Esta notícia deixou todos os voluntários muito emocionados.
Com doses extras de paciência e muito carinho, depois de 4 meses, toda a personalidade arredia deu lugar a um gato muito carinhoso, apaixonado e grato por sua mãe.

Pérola, a mãezinha da ninhada de pedras preciosas. Ela morava na REGAP, mas achou um anjo da guarda que a tirou de lá.
Depois de poder ter seus filhotes em segurança, poder amamentar a turma tranquilamente, ela foi vacinada e castrada. Como a maioria das nossas mãezinhas, chegou magrinha, mas logo ganhou peso e ficou gordinha e muito saudável! 
Outra característica comum às mãezinhas é serem bem territoriais e possessivas enquanto estão no abrigo, e demorarem muito a serem adotadas. Mas a Pérola não era assim. Em geral era tranquila e seus divinos bigodes até que não demoraram tanto a conquistar uma família.
Mas acontece que a Pérola acabou se mostrando muito territorialista, depois de adotada. A adoção conjunta com a Lili para uma casa que já tinha um gato e um cão, não era exatamente o que a nossa Pérola Negra tinha em mente. Ela, que é dengosa, ficou distante, não interagia nem com animais nem com humanos e fazia xixi pela casa toda! Os adotantes foram muito pacientes e até queriam tentar mais tempo. Mas achamos que ela não estava feliz e que o melhor era ela voltar para o abrigo e recomeçar. E mesmo com muito pesar no coração, os adotantes a devolveram.
Mas a sua 2ª jornada no BG não durou muito tempo. Aquela moça corajosa que animou a adotar o super tímido Tigre, também adotou a Pérola! E lá, num ambiente mais tranquilo, só com a sua mamãe e o bobo do Tigre que fica a maior parte do tempo escondido, ela finalmente se sentiu dona da casa. Já ganhou nichos e prateleiras e dorme com a mamãe todos os dias.
Eles foram adotados em janeiro/2016.

Depoimento adotante – Renata

Adotar gatinhos foi um sinal divino. Depois de sonhar por muitos meses com gatos, fui passar um feriado na casa de uma amiga que tinha adotado dois.  Saí de lá apaixonada. A mesma amiga me indicou a Ong Gato Uai. Entrei em contato com “as tias”, como nós as chamamos aqui em casa, e assim que a “dinda” Amanda veio a Belo Horizonte fomos ao abrigo escolher. Eu tinha algumas opções na cabeça, mas quando chegamos ao Barra Gato foi tudo diferente do imaginado.  Eu estava com o pé machucado e uma gatinha preta, bem gordinha começou a me seguir. Eu ignorei e comecei a perguntar pelas opções. Mas volta e meia alguém me avisava da gatinha que me seguia. Entrei na casa e quando voltei ao quintal da casa a gatinha estava fazendo carinho na cabeça de uma “tia” que estava deitada no chão. Sentei ao lado e a bichinha me cheirou e deitou do lado do pé enfaixado. Comecei a fazer carinho nela e ela quetinha. Tão fofinha! Resolvi que apesar de não querer gatos pretos levaria ela: Pérola. Junto a Pérola queria trazer um gato macho, mas a escolha ficou para depois. Comecei a arrumar a casa para recebê-los. E, finalmente, chegou o dia de ir buscá-los! Foi no dia 25 de dezembro de 2015. Fomos eu, minha mãe e minha sobrinha. Fomos recebidos pela tia Cláudia. O macho escolhido foi o Tigre. No mesmo dia pela manhã fiz faxina na casa para recebê-los. Estava tudo limpinho. Chegamos em casa, abri as caixinhas de transporte e a Pérola já saiu toda serelepe explorando o território. Subiu na cama e assim passamos toda aquela tarde. Mandando fotos para os familiares. No início a adaptação foi um pouco difícil, principalmente a do Tigre, que se escondeu e demorou meses para conseguir fazer ele conviver em casa. Pérola convivia, mas marcava território fazendo xixi nos lugares onde as visitas sentavam.  Uma vez, ela fez xixi até em mim. Hahahaa. Pedi muita ajuda para “as tias”. Eles aranharam todo o sofá, cadeiras, quebraram coisas, ganharam arranhadores, brinquedos para subir, fonte de água e a casa ficou toda para eles. Depois de quase um ano somos melhores amigas! Onde eu vou a minha gatinha Pérola vem atrás. E eu amo! E até o Tigre está convivendo. Somos uma família feliz e alegre. Foi a melhor decisão da minha vida, com certeza. E quem quiser conhecer o Tigre, acompanhar a rotina dele e da Pérola e saber como foi a adaptação de cada um pode segui esses dois irmãos no instagram: perolaetigre.