Trovão (Lírio) e Caju

Resgate / Vida no abrigo:

Caju é de uma linhagem de gatos ariscos, sendo alguns ferais.
Sua família escolheu morar na Savassi e lá acharam um aliado que os alimentava. Mas os comerciantes da região sempre ameaçavam envenenar a todos.
Na época da inauguração do BG2 chegamos a acolher algumas matriarcas desta família. Mas a vida em cativeiro perto de humanos para elas era insuportável. Além do pânico em seus olhos, começaram a se auto mutilar. Mantê-las ali seria simplesmente crueldade para poder bradar que foram tiradas das ruas.
Foram vacinadas, castradas e tiveram a chance de ir morar em um sítio, com a privacidade que necessitam e a ração garantida.
Mas alguns membros da família ainda estavam na Savassi e continuavam a procriar. Numa dessas ninhadas, nasceram Caju e Cocada.
Assustados para não negar o sangue, mas não chegavam a ser ferais – havia uma esperança.
Uma temporada na casa da voluntária Miriene ajudou e construir a confiança em humanos. Mas uma inflamação persistente na gengiva e a medicação diária faziam despertar as oncinhas que neles habitavam. Precisaram fazer cirurgia para controlar a inflamação.
Depois de 02 anos no abrigo, Cocada adoeceu e nos deixou…
Caju sentiu a falta de seu irmão companheiro, mas sua perda sensibilizou a adotante, que resolveu dar uma chance de ser realmente feliz a esse ex-arisco.
Caju foi adotado em Janeiro de 2016.

Lírio é um dos filhotes da Gardênia. Ele nasceu no BG, cresceu, viu suas irmãs ‘sialatas’ sendo adotadas, viu sua mãe ser adotada, sua irmã Hortência também frajola ser adotada e devolvida, e ele continuava no abrigo.

Ele, que se transformou em um gato grande, forte, de pelo macio e muito carinhoso, já tinha ido em várias Feiras de Adoção, mesmo quando filhotinho e nada… Ele até que tentou se impor como macho alfa no BG, mas a concorrência com os mais velhos era grande, e continuou no abrigo por mais de um ano aguardando por uma família para chamar de sua. 
E, finalmente, no feriado de Natal, essa família apareceu!

Adotado em Dezembro de 2015.

Depoimento adotante – Vanessa

A ideia de adotar um gato nasceu da vontade de dar um irmãozinho para minha gatinha recém adotada Aurora, que era muito manhosa e medrosa. Soube do BG e fui em busca de um gato extrovertido que demonstrasse facilidade em interagir mesmo com pessoas estranhas. O Cajú foi um dos primeiros que me chamou a atenção por ser lindo, mas com um olhar triste e medroso. Depois que soube da história em que perdeu seu irmão e super companheiro, não tive dúvidas que queria leva-lo para casa. De qualquer forma, o desejo por um gato extrovertido e mais corajoso ainda me rondava. Então, o Trovão começou a brincar comigo e mostrou ser o gatinho que eu queria para fazer parte da família. Resultado: fui adotar um irmão e acabei com dois. Hoje os três gatinhos são muito unidos, carinhosos e brincam bastante entre si. O Trovão é o queridão da minha casa, que faz todo mundo rir o tempo todo e recebe todas as visitas com o seu jeito dominador e peculiar. O Cajú mantém seu perfil medroso, mas é um gato travesso no estilo mineirês “como quieto”, mas muito carinhoso e dengoso.